0 R$ 0,00

Aclimatação

O passo mais importante para garantir a correta adaptação do animal em seu novo habitat é uma aclimatação apropriada. Animais marinhos são extremamente sensíveis à alterações de parâmetros da água como temperatura, ph e salinidade.

Abaixo explanaremos dois métodos de aclimatação, porém quando for segui-los, é necessário lembrar-se de que nunca se deve pular etapas do processo. Recomendamos que primeiramente leia todo o procedimento escolhido para só então repeti-lo passo-a-passo.

Notas importantes:

As luzes devem ser apagadas por pelo menos 4 horas após a introdução do animal, pois isso otimiza sua adaptação ao novo ambiente.

Nunca introduza um sistema de aeração diretamente na embalagem durante a aclimatação, pois isso aumentará o PH da água rapidamente podendo expor o animal à amônia letal.

O animal pode aparentar estar morto quando chegar ao destino, pois o stress de envio pode deixá-lo prostrado. Tire fotografias com a embalagem ainda lacrada e execute o procedimento corretamente, caso o animal esteja vivo deverá reanimar durante o processo. Caso seja constatada a morte, serão necessárias fotos do animal depois de realizado o processo por conta dos direitos de garantia.

O novo habitante poderá ser assediado pelos moradores antigos nesse caso pode-se usar alguns truques como:  uma cesta de plástico perfurado onde deverá ser inserido o morador mais territorialista e agressivo e nunca o novo, pois este precisa se acostumar ao seu novo ambiente ou uma grade de divisão luminosa (eggcrate)  que tem a mesma finalidade da cesta. Após a adaptação do novo habitante o truque escolhido pode ser removido.

Alguns corais vivos podem produzir limo em excesso durante o envio, caso isso aconteça, siga o procedimento de aclimatação normalmente e segure o animal agitando-o suavemente ainda dentro da embalagem. Lembrando que nunca se deve tocar a parte carnuda do coral vivo. Caso o coral não se abra espere alguns dias, pois assim que estiver adaptado às suas novas condições de vida isso deverá acontecer.


Flutuação

O primeiro passo é apagar tanto as luzes do aquário quanto do ambiente onde a caixa será aberta, a exposição à luz pode causar severos traumas em um animal que está há muito tempo no escuro.

Deixe o pacote ainda lacrado flutuando sob a água do aquário onde o animal será inserido durante 15 minutos. Essa etapa permite que a temperatura da água da embalagem ajuste-se lentamente à temperatura do aquário enquanto mantém o elevado nível de oxigenação.

Em seguida abra a embalagem (ainda flutuando) e prenda-a com um pregador de roupas na borda do aquário de maneira que ela se mantenha em pé e a água não invada seu interior. Então despeje ½ copo americano da água do aquário no interior da embalagem a cada 4 minutos até que esteja completamente cheia.

Feito isso, descarte metade da água da embalagem (nunca dentro do aquário), prenda-a novamente na borda do aquário de maneira que continue flutuando e novamente adicione ½ copo americano da água do aquário no interior da embalagem até que esteja completamente cheia.

Capture o animal com uma rede despejando todo o conteúdo da embalagem em um balde e solte-o imediatamente no aquário. É importante ressaltar que a água da embalagem nunca deve ser despejada no aquário, pois isso pode modificar rapidamente os parâmetros de PH e salinidade de seu sistema, prejudicando os habitantes mais antigos.


Gotejamento

Esse é o melhor e mais seguro para aclimatar desde os animais mais sensíveis até os mais resistentes. Considerado o mais eficaz, este método exige mais atenção do criador, que deve estar disposto a acompanhar todo o processo.

Apague as luzes e deixe a embalagem, ainda lacrada, boiando na água do aquário por cerca de 15 minutos para que a temperatura da água da embalagem ajuste-se lentamente à água do aquário.

Esvazie cuidadosamente o conteúdo da embalagem (incluindo água e organismo vivo) em um balde com a certeza de que os animais estejam completamente submersos. Se for preciso use um calço que mantenha o balde em um ângulo de 45° até que haja água suficiente para retorná-lo à sua posição normal.

Com uma tubulação de ar, um sifão e uma válvula não metálica configure um sistema de gotejamento partindo do aquário. Assim que a água começar a fluir no tubo ajuste o gotejamento na válvula para de 2 a 4 gotas por segundo.

Quando dobrar o volume do conteúdo no balde desligue a válvula e descarte metade da água, em seguida ajuste o gotejamento novamente para de 2 a 4 gotas por segundo.

Repita esse procedimento por cerca de 2 horas e então as espécies já podem ser transferidas para o aquário.

Boa sorte!


Usamos e aprovamos toda linha Red Sea